Conteúdo Health Analytics

Gestão | 07/11/2018

Adoção do gerenciamento de mudanças é essencial para manter a estabilidade do sistema

O gerenciamento de mudanças é um item indispensável em ambientes de Tecnologia da Informação (TI), e se enquadra em qualquer empresa. Esse processo é extremamente necessário para garantir a estabilidade dos sistemas e minimizar perdas, que veremos com o desenrolar do assunto, além de ser uma prática de mercado aplicada mundialmente.

O que é gerenciamento de mudanças?

Nada mais é do que um processo que tem por objetivo garantir que mudanças e alterações em sistemas e ambientes de produção são testadas, validadas, analisadas do ponto de vista de risco e impacto, autorizadas e agendadas para serem aplicadas no momento mais adequado. Esse processo garante transparência nas informações, na relação com o cliente, gera governança dos recursos computacionais e ambiente de TI, traz valor agregado ao serviço e maximiza a estabilidade e saúde dos sistemas.

  • O gerenciamento de mudanças é composto, principalmente, por: Dono do processo – Responsável por gerenciar e garantir a aplicação correta e efetiva do processo;
  • GMUD – Um documento específico para solicitar e descrever, de forma clara, a mudança (risco, impacto, procedimentos de execução, executor, plano de rollback, etc);
  • Comitê de mudanças – Realizado com periodicidade definida para avaliar e aprovar/reprovar, as mudanças solicitadas;
  • Stakeholders – partes interessadas que participam do processo e comitê;
  • Grupo de aprovadores – Profissionais previamente definidos com níveis de aprovação/alçada. De acordo com o risco e impacto da mudança, o dono do processo pode escalar dentro do nível de aprovação.

Um dos maiores desafios do gerenciamento está na adoção do processo por parte das áreas envolvidas, principalmente as de negócio e desenvolvimento. Geralmente, enxergam como uma burocracia desnecessária, que atrasa o processo de entrega. No entanto, deve ser visto como parte do projeto, e uma ferramenta efetiva para entregar ao cliente a qualidade e o valor que foram planejados.

Para que o gerenciamento de mudanças tenha força, é preciso ter patrocinadores, ou seja, gestores, diretores e afins, que entendam o valor deste processo para a gestão dos serviços de TI, como o ganho operacional e de estabilidade dos sistemas e serviços.

A empresa que não adota o gerenciamento de mudanças pode sofrer com altos índices de interrupções e instabilidade, perder o controle das modificações realizadas e levar um tempo excessivo para reestabelecer o funcionamento dos sistemas produtivos. Além do risco de imagem e financeiro, pois submete seus clientes e sistemas a níveis de interrupções e indisponibilidade elevados.

*Texto de autoria de Rogério Damasceno – área de operações – TI na Funcional Health Management