Conteúdo Health Analytics

Gestão | Health | 04/10/2018

O futuro da saúde é digital. E a sua gestão?

Que o futuro da saúde é digital ninguém duvida, mas e a sua gestão? Se adequa às mudanças do setor?

Que o futuro da saúde passa pelo mundo digital ninguém mais parece duvidar, seja para o campo da gestão como para o campo dos tratamentos médicos, que devem ficar mais eficientes e menos custosos. Em uma pesquisa realizada pela Philips em 16 países, foi possível observar, por exemplo, que 81% dos profissionais da saúde e 74% da população acreditam que a tecnologia melhora a assistência médica.

Mas, a questão atual está muito mais centrada em como utilizar o recurso de forma eficiente. E isso vai além de questionamentos que tratam de hospitais e equipamentos conectados, informações na rede e experiências customizadas. O que se deseja saber é como implementar uma gestão de saúde mais inteligente e integrada que garanta a sustentabilidade do sistema em todas as esferas.

Isso porque, os pacientes temem pela segurança das informações, os médicos dizem que a tecnologia aumenta o trabalho, as empresas precisam ser cada vez mais racionais e eficientes no benefício que oferecem aos funcionários e o setor público tem o dever de acompanhar os avanços para atualizar suas regulamentações. Aliado a isso temos o fato de que a dinâmica da cadeia toda mudou: seja na integração do paciente com o sistema de saúde e com a tecnologia que está a sua disposição; no atendimento no hospital, no laboratório ou no centro de exames; no desenvolvimento de novos medicamentos, procedimentos e terapias; ou ainda na forma como se adquire medicação atualmente.

Todo esse cenário voltado ao entendimento do futuro da saúde faz com que o conceito de transformação digital caminhe além do técnico e instrumental, até porque todo o apresentado e ainda outros fatores são responsáveis pelo encarecimento crescente da saúde. Portanto, é possível dizer que o mundo vive uma fase de transição e adaptação e, nesse contexto, as empresas que desejarem promover qualidade de vida e bem-estar aos colaboradores em busca de parceria, produtividade e custos menos elevados que a média do mercado precisarão olhar também para ferramentas avançadas de gestão, como aplicativos ou plataformas de Business Intelligence (BI) para que suas decisões sejam mais acertadas quando o assunto é o benefício.

De forma simples, isso significa que tecnologia e inovação se responde com mais tecnologia e inovação. Agregar inteligência na gestão da saúde é garantia de um uso mais eficiente e racional dos recursos investidos no segundo maior gasto de uma companhia, atrás da folha de pagamento. Apenas por meio dela é possível identificar gaps (como na cobertura do plano de saúde, nas fraudes do PBM e também nas ações adotadas para promoção de saúde) ou mesmo antevê-los de maneira preditiva, o que diminui o desperdício e, consequentemente, os ajustes de contratos.

No final, o reflexo é integral no completo e total gerenciamento de programas existentes na companhia, no acompanhamento de pacientes, no histórico de saúde da população e, como consequência, na melhora na qualidade de vida de cada um dos funcionários. Por isso, é possível assegurar que o digital veio para transformar a infraestrutura de informação e o futuro da saúde, para que as organizações possam atuar de forma diferente e melhor. Sua companhia sabe como se inserir nesse novo contexto? A Funcional Health Management pode te orientar. Entre em contato!